2016 EDITION

AS COISAS SÃO ESTRANHAS

BARBASTRO-OPEN

As coisas estão estranhas

Em Barbastro-Foto também sofremos cortes: a partir de agora somos chamados de BFOTO. Bem, é por isso que, e só por precaução, os barcelonenses querem fazer um festival de fotografia. Porque se formos em junho, este é o BFOTO.

Durante vários meses, alguns incorrigíveis programam este festival e dizem que é para caçar leões na Escócia. Você sabe: se não houver leões na Escócia, também não haverá festival. É difícil, porque apostar na fotografia na época em que as humanidades estão fazendo a caminhada tem muito como uma ponte sobre o Rio Kwai. E se você estiver fazendo isso em uma cidade pequena e se concentrando na fotografia emergente, você pode facilmente duvidar de sua continuidade. A menos que haja leões na Escócia. É quando o festival pode fazer três anos, continuar a defender a fotografia emergente, as atividades de rua, a participação de escolas municipais ou oficinas de formação. Este ano temos um lema que articula o festival: as coisas são estranhas. É por causa do grande Duane Michals e porque somos tão cosmopolitas: o universal é apenas o local sem paredes. E falar de coisas estranhas é falar do mundo, de tudo o que existe, daquilo que olhamos embora ainda não tenha sido fotografado. É falar dos outros porque, de perto, ninguém é normal.

Em Barbastro as fotografias vão às ruas durante o mês de junho. Não tema, eles são inofensivos. Se, além disso, for priorizado o emergente, o que nasce e o que sai, o que surge para ser olhado, pode ser muito divertido. Ao remover o estigma da compreensão, pode-se olhar para as coisas com o mesmo frescor com que viu um peixe voar pela primeira vez. Se você estacionar seu celular um pouco verá que existem outros mundos, mesmo que sejam neste, enquanto vê que olhando as fotos somos apenas náufragos que experimentaram a água do mar. A magia da fotografia retorna, BFOTO começa.

X